Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

#MOMENTOS

Momentos são pequenas fracções de tempo em que algo, único e irrepetível, acontece e que o fotógrafo teve a capacidade de captar! Mostram-nos movimento, emoção e contam-nos uma história.

#MOMENTOS

Momentos são pequenas fracções de tempo em que algo, único e irrepetível, acontece e que o fotógrafo teve a capacidade de captar! Mostram-nos movimento, emoção e contam-nos uma história.

13
Fev20

Murais por Styler

Armando Isaac
Styler a.k.a. João Cavalheiro nasceu em França nos anos 90. Iniciou a pintura mural em meados de 2004. Com o graffiti adquiriu a sua experiência / técnica e hoje expressa maioritariamente a sua arte em spray sobre murais.
Em 2007 concorreu pela 1ª vez a um concurso de Graffiti, organizado pela Eleven Yard, convidado pelos artistas Nark e Seis, obtendo a 1ª classificação do concurso.
Em 2008 participou no seu 2º concurso de Graffiti com o Ecky, organizado pela Escola Seomara da Amadora com o tema Multiculturalidades, obtendo a 1ª classificação.
Em 2015 concorreu ao concurso de graffiti organizado pela associação Acuparte em Odivelas adquirindo o 1º prémio.
In: Facebook

DSCF4135.jpg

 

DSCF4136.jpg

 

DSCF4137.jpg

 

DSCF4139.jpg

 

DSCF4141.jpg

 

DSCF4142.jpg

 

DSCF4146.jpg

 

DSCF4152.jpg

 

DSCF4153.jpg

 

DSCF4154.jpg

DSCF4158.jpg

 

DSCF4160.jpg

 

DSCF4165.jpg

 

DSCF4168.jpg

 

DSCF4169.jpg

 

DSCF4172.jpg

 

DSCF4180.jpg

 

DSCF4182.jpg

 

DSCF4185.jpg

 

DSCF4187.jpg

DSCF4188.jpg

 

DSCF4190.jpg

 

DSCF4192.jpg

 

DSCF4194.jpg

DSCF4195 (1).jpg

 

Fotos: © 2020 Armando Isaac

 

31
Jan20

40 ano de Licenciatura no ISCTE

Armando Isaac

No dia 30 de Janeiro de 2020, reuniram-se num agradável jantar e amena cavaqueira no Restaurante CIF, 22 colegas e amigos do Curso de Organização e Gestão de Empresas do ISCTE, para comemoração dos 40 anos da sua licenciatura.

IMG_0314.jpg

 

IMG_0315.jpg

 

IMG_0316.jpg

 

IMG_0317.jpg

 

IMG_0318.jpg

 

IMG_0319.jpg

 

IMG_0320.jpg

 

IMG_0321.jpg

 

IMG_0322.jpg

 

IMG_0323.jpg

IMG_0324.jpg

 

IMG_0325.jpg

 

IMG_0326.jpg

 

IMG_0327.jpg

 

IMG_0328.jpg

 

IMG_0329.jpg

 

IMG_0330.jpg

 

IMG_0331.jpg

 

IMG_0334.jpg

 

IMG_0338.jpg

IMG_0340.jpg

 

IMG_0341.jpg

 

IMG_0342.jpg

 

IMG_0343.jpg

 

IMG_0344.jpg

 

IMG_0345.jpg

 

IMG_0346.jpg

 

IMG_0347.jpg

 

IMG_0348.jpg

 

IMG_0349.jpg

IMG_0350.jpgFotos: © 2020 Armando Isaac

 

15
Jan20

Festa da Santa Bebiana - Caria

Armando Isaac

A festa da Santa Bebiana em Caria é um testemunho etnográfico das festas báquicas pagãs! É uma das tradições mais origianis de Caria que se realiza anualmente no dia 2 de Dezembro.

A Santa Bebiana (santa das mulheres) e o São Martinho (santo dos homens) são considerados advogados dos bêbados.

Na véspera da festa efectua-se um cotejo ou chocalhadas onde as pessoas são intimadas a participar na procissão do dia seguinte.

No dia da festa preparam-se os andores onde se coloca a Santa Bebiana transportada pelos rapazes e o São Martinho pelas raparigas, havendo ainda um andor com um barril de vinho, transportado por mulheres, que vão fazendo a distribuição do vinho, pelos presentes na procissão.

Os dois santos saem de locais distintos, fazendo o seu encontro, no largo da antiga Casa do Povo, após o que seguem junto na procissão que decorre ao longo da vila de Caria, acompanhados dos mordomos, secretários, juizes e um prior que vai fazendo os sermões:

Credo

Creio no álcool a 36 graus, todo poderoso e criador de formidáveis carraspanas. Creio na aguardente sua filha e minha esposa predilecta a qual foi concebida por obra e graça do alambique, nasceu da puríssima cana e padeceu sob prisão dos moinhos. Foi derramada e sepultada num casco, ao terceiro dia, surgiu da garrafa e subiu graciosa e triunfante à caixa dos pirolitos. Escoou o fundo da caldeira e até no tonel bem rolhada, estando à mão direita das barbas do bagaço, de onde há-de vir alegrar uma grande pândega sem fim; dar vista aos grandes e pequenos, ricos e pobres, doutores e burgueses, santos e diabos. Portanto, creio na repetição da pinga, na santa vindima anual, na comunicação dos irmãos do esgota, na renovação das pipas vazias, na bebedeira eterna. Amen.

Pai Nosso do Vinho

Santa uvas que estais na parreira, purificada sejais sem enxofre e sem sulfato. Venha a nós o vosso líquido para ser bebido à nossa vontade tanto na taverna como na nossa casa, mas livrai-nos de quebrar a cabeça. Amen.

A festa culmina com "comes e bebes", baile e animação.

Nota: Adapatação de extrato da Monografia do Concelho de Belmonte

DSCF3343 (1).jpg

 

DSCF3344.jpg

 

DSCF3345 (1).jpg

 

DSCF3347 (1).jpg

 

DSCF3357 (1).jpg

 

DSCF3360 (1).jpg

 

DSCF3375 (1).jpg

 

DSCF3382 (1).jpg

 

DSCF3390 (1).jpg

 

DSCF3391 (1).jpg

DSCF3394.jpg

 

DSCF3399.jpg

 

DSCF3400.jpg

 

DSCF3401.jpg

 

DSCF3415.jpg

 

DSCF3419.jpg

 

DSCF3420.jpg

 

DSCF3426.jpg

 

DSCF3436.jpg

 

DSCF3440.jpg

DSCF3443.jpg

 

DSCF3449.jpg

 

DSCF3460.jpg

 

DSCF3469.jpg

 

DSCF3473.jpg

 

DSCF3476.jpg

 

DSCF3483.jpg

 

DSCF3484.jpg

 

DSCF3486.jpg

 

DSCF3491.jpg

DSCF3494.jpg

 

DSCF3496.jpg

 

DSCF3516.jpg

 

DSCF3518.jpg

 

DSCF3524.jpg

 

DSCF3528.jpg

 

DSCF3531.jpg

 

DSCF3538.jpg

 

DSCF3539.jpg

 

DSCF3543.jpg

DSCF3548.jpg

 

DSCF3560.jpg

 

DSCF3568.jpg

 

DSCF3569.jpg

 

DSCF3617.jpg

 

DSCF3619.jpg

 

DSCF3624.jpg

 

DSCF3634.jpg

 

DSCF3656.jpg

 

DSCF3684.jpg

DSCF3685.jpg

 

DSCF3687.jpg

 

DSCF3694.jpg

 

DSCF3697.jpg

 

DSCF3727.jpgFotos: © 2019 Armando Isaac

 

 

16
Dez19

Festa Barroca - visita do Marquês de Pombal ao Jardim Botânico.

Armando Isaac

Uma viagem no tempo, pelos meandros do Jardim Botânico da Ajuda. O Marquês de Pombal veio visitar o jardim, acompanhado da sua segunda mulher D. Leonor Daun, sempre com a presença por perto das suas aias, criados e  até o Patriarca de Lisboa.

ARMANDO-TRATADA (2 de 1).jpg

 

DSCF2790.jpg

 

DSCF2793.jpg

 

DSCF2792.jpg

 

DSCF2796.jpg

 

DSCF2802.jpg

 

DSCF2808.jpg

 

DSCF2819.jpg

 

DSCF2821.jpg

 

DSCF2826.jpg

DSCF2836.jpg

 

DSCF2845.jpg

 

DSCF2853.jpg

 

DSCF2854.jpg

 

DSCF2857.jpg

 

DSCF2864.jpg

 

DSCF2868.jpg

 

DSCF2874.jpg

 

DSCF2876.jpg

 

DSCF2877.jpg

DSCF2878.jpg

 

DSCF2879.jpg

 

DSCF2907.jpg

 

DSCF2910.jpg

 

DSCF2957.jpg

 

DSCF2979.jpg

 

DSCF2983.jpg

 

DSCF2987.jpg

 

DSCF2989.jpg

 

DSCF2996.jpg

DSCF2997.jpg

 

DSCF3001.jpg

 

DSCF3012.jpg

 

DSCF3014.jpg

 

DSCF3017.jpg

 

DSCF3018.jpg

DSCF3026 (1).jpg

 

Fotos: © 2019 Armando Isaac

 

14
Dez19

Serra da Estrela e as cores do Outono

Armando Isaac

O Poço do Inferno tal como o próprio nome indica é um poço, ou uma pequena lagoa em plena Serra da Estrela  resultante de uma queda de água com cerca de 10 metros de altura, formada pelas águas da ribeira de Leandres.

Situado no coração da Serra a 1080 metros de altitude, as águas são geladas, e que nos Invernos mais rigorosos, chega mesmo a transformar-se em gelo.

O curso das águas da Ribeira de Leandres percorre os mantos graníticos, bem característicos da Beira e encontra uma barreira natural feita de rocha endurecida pelo metamorfismo de contacto, criando esta cascata digna de registo. O alto Zêzere ocupa um antigo vale glaciar instalado ao longo de uma falha de orientação sudoeste-nordeste. 

O Covão d’Ametade é um local paradisíaco onde nasce o rio Zêzere.

Fonte: Wikipédia

DSCF3168.jpg

 

DSCF3185.jpg

 

DSCF3188.jpg

 

DSCF3189.jpg

 

DSCF3190.jpg

 

DSCF3196.jpg

 

DSCF3204.jpg

 

DSCF3207.jpg

 

DSCF3215.jpg

 

DSCF3216.jpg

DSCF3217.jpg

 

DSCF3219.jpg

 

DSCF3226.jpg

 

DSCF3240.jpg

 

DSCF3241.jpg

 

DSCF3243.jpg

 

DSCF3244.jpg

 

DSCF3247.jpg

 

DSCF3260 Serra Estrela.jpg

 

DSCF3262.jpg

DSCF3270 Covão da Ametade.jpg

 

DSCF3271.jpg

 

DSCF3274.jpg

 

DSCF3275.jpg

 

DSCF3279.jpg

 

DSCF3280.1.jpg

 

DSCF3284.jpg

 

DSCF3286.jpg

 

DSCF3298.jpg

 

DSCF3300.jpg

DSCF3301.jpg

 

DSCF3302.jpg

 

DSCF3303.jpg

 

DSCF3304.jpg

 

Fotos: © 2019 Armando Isaac

 

30
Set19

Lisbon Under Stars

Armando Isaac

O Lisbon Under Stars está de regresso ao coração de Lisboa! Uma experiência imersiva indescritível de 45 minutos que mistura projeções multimédia, bailarinos virtuais e efeitos visuais, ao som de grandes nomes da música Portuguesa. Este magnífico evento, que em 2018 ganhou o Prémio de Melhor Evento Cultural, já levou às Ruínas do Carmo mais de 50.000 visitantes portugueses e estrangeiros. Uma ovação à cultura e património do nosso país!

Fonte: Internet

NOTA: Reportagem fotográfica feita com telemóvel

fullsizeoutput_e4f (2).jpeg

 

fullsizeoutput_e53 (2).jpeg

 

fullsizeoutput_e57 (2).jpeg

 

fullsizeoutput_e59 (2).jpeg

 

fullsizeoutput_e5b (2).jpeg

fullsizeoutput_e5d (2).jpeg

 

fullsizeoutput_de5.jpeg

 

fullsizeoutput_e60 (1).jpeg

 

fullsizeoutput_de9.jpeg

 

fullsizeoutput_deb.jpeg

fullsizeoutput_ded.jpeg

 

fullsizeoutput_df3.jpeg

 

fullsizeoutput_df8.jpeg

 

fullsizeoutput_dfa.jpeg

 

fullsizeoutput_dfc.jpeg

fullsizeoutput_dfe.jpeg

 

fullsizeoutput_e00.jpeg

 

fullsizeoutput_e02.jpeg

 

fullsizeoutput_e08.jpeg

 

fullsizeoutput_e06.jpeg

fullsizeoutput_e0a.jpeg

 

fullsizeoutput_e0c.jpeg

 

fullsizeoutput_e10.jpeg

 

fullsizeoutput_e1d.jpeg

 

fullsizeoutput_e20.jpeg

fullsizeoutput_e22.jpeg

 

fullsizeoutput_e24.jpeg

 

fullsizeoutput_e26.jpeg

 

fullsizeoutput_e28.jpeg

 

fullsizeoutput_e2c.jpeg

fullsizeoutput_e2e.jpeg

 

Fotos: © 2019 Armando Isaac

 

22
Set19

II - Nazaré e o Sítio

Armando Isaac

 

O Sítio da Nazaré é um impressionante promontório, onde temos uma das mais conhecidas panorâmicas da costa portuguesa. São 318 metros de rocha a cair a pique até ao mar, a que se chega a pé, para os mais corajosos, ou subindo de ascensor. No alto, encontramos a pequena Ermida da Memória, onde se conta a lenda do milagre que Nossa Senhora fez impedindo o cavalo de um fidalgo, D. Fuas Roupinho, de se lançar no precipício. Verdade ou não, no Miradouro do Suberco mostra-se o sinal deixado na rocha pela ferradura, nessa manhã de nevoeiro de 1182. No Sítio, podemos ainda visitar o Santuário de Nossa Senhora da Nazaré.

Atualmente, a grande atração desta vila são as ondas e o surf, graças ao “Canhão da Nazaré”, um fenómeno geomorfológico submarino que permite a formação de ondas gigantes e perfeitas. Trata-se do maior desfiladeiro submerso da Europa, com cerca de 170 quilómetros ao longo da costa, que chega a ter 5000 metros de profundidade. 

O surfista havaiano Garrett McNamara deu-lhe a visibilidade mundial quando, em 2011, fez a maior onda do mundo em fundo de areia, com cerca de 30 metros, na Praia do Norte, vencendo o prémio Billabong XXL Global Big Wave Awards e batendo um record do Guiness Book. À sua semelhança, surfistas de todo o mundo visitam a Nazaré todos os anos para se aventurarem no mar. Na praia, os banhos de sol também são apreciados e uma excelente plateia para apreciar as proezas destes jovens.

Conhecendo-se os locais e momentos adequados, podem obter-se excelente imagens da praia da Nazaré, do Farol e do próprio Sítio da Nazaré.

DSCF2368.jpg

 

DSCF2370.jpg

 

DSCF2371.jpg

 

DSCF2372.jpg

 

DSCF2373.jpg

 

DSCF2378.jpg

 

DSCF2379.jpg

 

DSCF2380.jpg

 

DSCF2383.jpg

 

DSCF2385.jpg

DSCF2389.jpg

 

DSCF2390.jpg

 

DSCF2399.jpg

 

DSCF2400.jpg

 

DSCF2401.jpg

 

DSCF2404.jpg

 

DSCF2408.jpg

 

DSCF2409.jpg

 

DSCF2410.jpg

 

DSCF2411.jpg

DSCF2412_1.jpg

 

DSCF2413_1.jpg

 

DSCF2414_1.jpg

 

DSCF2417_1.jpg

 

DSCF2419_1.jpg

 

DSCF2420_1.jpg

 

 

DSCF2422.jpg

 

DSCF2423_1.jpg

 

DSCF2425_1.jpg

DSCF2426_1.jpg

 

 

DSCF2428_1.jpg

 

 

DSCF2433.jpg

 

DSCF2434.jpg

 

 

 

DSCF2438.jpg

 

DSCF2441.jpg

DSCF2442.jpg

 

DSCF2445.jpg

 

DSCF2447.jpg

 

DSCF2453.jpg

 

DSCF2461.jpg

 

DSCF2477.jpg

 

DSCF2488.jpg

Fotos: © 2019 Armando Isaac

 

21
Set19

I - NAZARÈ

Armando Isaac

A praia da Nazaré, de clima ameno e com uma beleza natural, tem das mais antigas tradições de Portugal ligadas às artes da pesca.
O longo areal em forma de meia-lua, e que é também a frente de mar da vila, é conhecido pela sua grandeza e pelos toldos de cores vivas que decoram a praia de areia branca em contraste com o azul da água.

Esta é uma praia onde as tradições da pesca são mais coloridas e não é raro cruzarmo-nos com as peixeiras que ainda usam as sete saias, como manda a tradição. Num fim de tarde de sábado dos meses de verão é imprescindível sentarmo-nos no paredão a assistir ao interessante espetáculo da "Arte Xávega" em que chegam do mar as redes carregadas de peixe e as mulheres gritam os seus pregões de venda. Se não percebermos exatamente as palavras, não é nada de preocupante. São códigos que muitas vezes só elas sabem. 

Virados para o mar, do lado direito, vemos um impressionante promontório. Trata-se do Sítio, onde temos uma das mais conhecidas panorâmicas da costa portuguesa. 

Para conhecer a Nazaré não se dispensa um passeio descontraído pelas ruas estreitas, perpendiculares à praia, e uma pausa num dos restaurantes para saborear um prato de marisco fresco, peixe grelhado ou uma apetitosa caldeirada. E ao cair da tarde, nada como apreciar o sol poente numa qualquer esplanada com vista para o mar, enquanto as luzes se acendem e anoitece.

Neste post, pretendo dar uma panorâmica geral da Nazaré, em particular com vistas de sul para norte, provavelmente menos conhecidas, bem como da zona do porto de abrigo.

No post seguinte irei apresentar panorâmicas da Nazaré colhidas do Sítio da Nazaré, bem como outros aspectos locais.

 

DSCF2270.jpg

DSCF2269_3 (1).jpg

 

DSCF2273.jpg

 

DSCF2274.jpg

 

DSCF2275.jpg

 

DSCF2276.jpg

 

DSCF2277.jpg

 

DSCF2278.jpg

 

DSCF2279.jpg

 

DSCF2280.jpg

DSCF2287.jpg

 

DSCF2289.jpg

 

DSCF2290.jpg

 

DSCF2293.jpg

 

DSCF2295.jpg

 

DSCF2298.jpg

 

DSCF2299.jpg

 

DSCF2301.jpg

 

DSCF2302.jpg

 

DSCF2303.jpg

DSCF2306.jpg

 

DSCF2309.jpg

 

DSCF2314.jpg

 

DSCF2319.jpg

 

DSCF2321.jpg

 

DSCF2322.jpg

 

DSCF2324.jpg

 

DSCF2330.jpg

 

DSCF2337.jpg

 

DSCF2340.jpg

DSCF2360 (1).jpg

DSCF2485 (1).jpg

 

 

Fotos: © 2019 Armando Isaac

 

18
Set19

Bordalo II, o Lince Ibérico e o Parque da Nações

Armando Isaac

Depois do Gil, o Parque das Nações, em Lisboa, tem um novo morador. É um enorme lince ibérico de Bordalo II que, como sempre nas instalações do artista urbano português, foi construído a partir de lixo.

A peça vai ficar ali como recordação simbólica da conferência Lisboa+21, que juntou ministros da juventude para debater vários temas — sobretudo ligados ao ambiente. O secretário-geral da ONU, o português António Guterres, encerrou o evento este domingo, 23 de junho — e logo a seguir foi inaugurada a obra de Bordalo II. Artur Bordalo nasceu em 1987. É conhecido por Bordalo II porque o seu avô, o artista plástico Real Bordalo — que morreu em 2017, aos 91 anos —, foi o primeiro Bordalo artista famoso. O neto começou pelo graffiti, até desenvolver este trabalho bastante característico que o tornou conhecido.

Espalhadas por Lisboa estão várias das suas esculturas de animais, integradas na iniciativa “Big Trash Animals”. Há ainda peças em Loures, Vila Nova de Gaia, Covilhã e Estarreja.

Em 2017, teve o seu maior sucesso de sempre com a exposição “Attero”, em Marvila, que no espaço de um mês foi visitada por cerca de 27 mil pessoas. No início deste ano teve uma mostra importante em Paris, a capital francesa.

O lince ibérico é uma espécie protegida que tem tido uma boa recuperação. Segundo o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas e Ministério do Ambiente, nasceram desde o início do ano 30 crias no Vale do Guadiana.

Aproveitámos a oportunidade para revisitar e colher imagens do sempre renovado Parque das Nações.

DSCF2601.jpg

DSCF2602.jpg

DSCF2604.jpg

DSCF2605.jpg

DSCF2608.jpg

DSCF2611.jpg

DSCF2613.jpg

DSCF2617.jpg

DSCF2620.jpg

DSCF2623.jpg

DSCF2625.jpg

DSCF2627.jpg

DSCF2629.jpg

DSCF2632.jpg

DSCF2633.jpg

DSCF2634.jpg

DSCF2635.jpg

DSCF2636.jpg

DSCF2637.jpg

DSCF2638.jpg

DSCF2641.jpg

DSCF2642.jpg

DSCF2644.jpg

DSCF2645.jpg

DSCF2646.jpg

DSCF2648.jpg

DSCF2649.jpg

DSCF2650.jpg

Fotos: © 2019 Armando Isaac