Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

#MOMENTOS

Momentos são pequenas fracções de tempo em que algo, único e irrepetível, acontece e que o fotógrafo teve a capacidade de captar! Mostram-nos movimento, emoção e contam-nos uma história.

#MOMENTOS

Momentos são pequenas fracções de tempo em que algo, único e irrepetível, acontece e que o fotógrafo teve a capacidade de captar! Mostram-nos movimento, emoção e contam-nos uma história.

07
Fev17

Tutankamon

Armando Isaac

Tutankhamon foi um faraó do Antigo Egito que faleceu ainda na adolescência.
Era filho e genro de Aquenáton (o faraó que instituiu o culto de Aton, o deus Sol) e filho de Kiya, uma esposa secundária de seu pai. Casou-se aos 8 anos, provavelmente com sua meia-irmã, Anchesenamon. Assumiu o trono quando tinha cerca de nove anos, restaurando os antigos cultos aos deuses e os privilégios do clero (principalmente o do deus Amon de Tebas). Morreu, provavelmente, em 1 324 a.C., aos dezenove anos, sem herdeiros - com apenas nove anos de trono - "o que levou especialistas a especularem sobre a hipótese de doenças hereditárias na família real da XVIII dinastia egípcia", na opinião de Zahi Hawass, secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito.
Devido ao fato de ter falecido tão novo, o seu túmulo não foi tão sumptuoso quanto o de outros faraós, mas mesmo assim é o que mais fascina a imaginação moderna pois foi uma das raras sepulturas reais encontradas quase intacta. Ao ser aberta, em 1922, ela ainda continha peças de ouro, tecidos, mobília, armas e textos sagrados que revelam muito sobre o Egito de 3 400 anos atrás.
In: Wikipédia

As imagens que se seguem são de uma espetacular recriação do túmulo e dos tesouros do faraó mais famoso, tal como foram descobertos em 1922, por Howard Carter.

Nota: Para os puristas da arte fotográfica, chama-se a atenção de que a grande maioria das fotos foram obtidas através de vidos/vitrines de protecção, pelo que alguns reflexos são inevitáveis.

API

 

 

IMG_0411.jpg

 

IMG_0358.jpg

 

IMG_0360.jpg

 

IMG_0367.jpg

 

IMG_0373.jpg

 

IMG_0374.jpg

 

IMG_0377.jpg

 

IMG_0379.jpg

 

IMG_0385.jpg

 

IMG_0386.jpg

 

IMG_0387.jpg

IMG_0388.jpg

 

IMG_0390.jpg

 

IMG_0391.jpg

 

IMG_0394.jpg

 

IMG_0395.jpg

 

IMG_0396.jpg

 

IMG_0397.jpg

 

IMG_0399.jpg

 

IMG_0400.jpg

 

IMG_0403.jpg

 

IMG_0404.jpg

 

IMG_0410.jpg

 

 

IMG_0413.jpg

 

IMG_0414.jpg

 

IMG_0416.jpg

 

IMG_0418.jpg

 

IMG_0421.jpg

 

IMG_0426.jpg

IMG_0427.jpg

 

IMG_0428.jpg

 

IMG_0429.jpg

 

IMG_0430.jpg

 

IMG_0431.jpg

 

IMG_0432.jpg

 

IMG_0434.jpg

 

IMG_0435.jpg

 

IMG_0436.jpg

 

IMG_0439.jpg

 

IMG_0446.jpg

 

Fotos: © 2017 Armando Isaac 

 

03
Fev17

Convento da Arrábida

Armando Isaac

O Convento de Nossa Senhora da Arrábida, vulgarmente conhecido apenas por Convento da Arrábida, foi fundado em 1542 por Frei Martinho de Santa Maria, religioso da Ordem de São Francisco a quem D. João de Lencastre (1501-1571), primeiro Duque de Aveiro, ofereceu a Serra da Arrábida para continuação da sua vida de ermita.Mas, anterior à construção do Convento, existia já uma ermida (ermida da Memória) de veneração à imagem da Senhora da Arrábida, junto à qual viveram os primeiros religiosos (Frei Martinho de Santa Maria, Frei Martinho Navarro, Frei Diogo dos Anjos, Frei Francisco Pedraita e São Pedro de Ancântara) durante dois anos, em celas escavadas na rocha. Este conjunto ficou conhecido po "Convento Velho".

O Convento Novo é constituido por um agrupamento de pequenas celas, igreja e capelas, pátios, corredores, refeitório e cozinha e outras dependências que se articulam na encosta por entre o arvoredo.

Segundo as crónicas, os monges franciscanos arrábidos caracterizavam-se não só pela austeridade da sua vida e costumes, mas também pelo seu procedimento patriótico e humanitário. Em 1834, com a extinção das ordens religiosas em Portugal, os frades abandonaram o Convento.

Posteriormente à Casa Aveiro, este património esteve na posse da família Palmela até ser adquirido pela Fundação Oriente em 1990.

O Convento da Arrábida, classificado de interesse público em 1977, está inserido numa vasta propriedade integrada no Parque Natural da Arrábida.

GPS: 38º 28'' 27.34N  8º 59'' 45.05W

In folheto informativo

 

DSC_1525.jpg

 

DSC_1526.jpg

 

DSC_1527_01.jpg

 

DSC_1530_02.jpg

 

DSC_1533_02.jpg

 

DSC_1538.jpg

 

DSC_1540.jpg

 

DSC_1546.jpg

 

DSC_1552.jpg

 

DSC_1553.jpg

DSC_1554.jpg

 

DSC_1555.jpg

 

DSC_1561.jpg

 

DSC_1562.jpg

 

DSC_1564.jpg

 

DSC_1566.jpg

 

DSC_1567.jpg

 

DSC_1575.jpg

 

DSC_1577.jpg

 

DSC_1581.jpg

DSC_1583.jpg

 

DSC_1585.jpg

 

DSC_1586.jpg

 

DSC_1588.jpg

 

DSC_1592.jpg

 

DSC_1594.jpg

 

DSC_1596.jpg

 

DSC_1602.jpg

 

DSC_1604.jpg

 

DSC_1606.jpg

DSC_1608.jpg

 

DSC_1609.jpg

 

DSC_1611.jpg

 

DSC_1613.jpg

 

DSC_1615.jpg

 

DSC_1618.jpg

 

DSC_1619_01.jpg

 

DSC_1620.jpg

 

DSC_1623.jpg

 

DSC_1626.jpg

 

Fotos: © 2017 Armando Isaac

 

 

 

 

03
Fev17

Moinho de Maré da Mourisca

Armando Isaac

Um moinho com história

O Moinho de Maré da Mourisca, localizado na Herdade da Mourisca (Reserva Natural do Estuário do Sado), é um dos quatro moinhos de maré conhecidos no Estuário do Sado. Trata-se de uma estrutura com 280 m2, preparada para o funcionamento simultâneo de oito mós, que estiveram activas até à decada de 50.

Originalmente construido por uma sala de moagem, uma sala de armazenamento e uma casa de apoio ao moleiro, foi utilizado durante mais de 250 anos como instrumento de moagem de cereal e produção de farinha, quer para o seu proprietário quer para a população local.

Em avançado estado de degradação após anos de abandono, o moinho foi adquirido pelo ICNB, que, em 1995, iniciou a sua reconstrução e recuperação.

Em 2012m foi assinado um protocolo de cogestão entre o ICNF e a Câmara Municipal de Setúbal, ficando as duas instituições responsáveis pela dinamização do moinho e áre envolvente.

GPS: 38º31'41.90''N 8º48'11.49''W

In folheto de apresentação

 

DSC_1637_01.jpg

 

DSC_1638_01.jpg

 

DSC_1639_01.jpg

 

DSC_1640_01.jpg

 

DSC_1642_01.jpg

 

DSC_1643_01.jpg

 

DSC_1644_01.jpg

 

DSC_1645_01.jpg

 

DSC_1646_01.jpg

 

DSC_1648_01.jpg

DSC_1649_01.jpg

 

DSC_1650_01.jpg

 

DSC_1652_01.jpg

 

DSC_1653_01.jpg

 

DSC_1654_01.jpg

 

DSC_1657_01.jpg

 

DSC_1660_01.jpg

 

DSC_1661_01.jpg

 

Fotos: © 2017 Armando Isaac

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Mensagens

Calendário

Fevereiro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D