Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

#MOMENTOS

Momentos são pequenas fracções de tempo em que algo, único e irrepetível, acontece e que o fotógrafo teve a capacidade de captar! Mostram-nos movimento, emoção e contam-nos uma história.

#MOMENTOS

Momentos são pequenas fracções de tempo em que algo, único e irrepetível, acontece e que o fotógrafo teve a capacidade de captar! Mostram-nos movimento, emoção e contam-nos uma história.

08
Jan12

À descoberta da Índia - Varanasi (2)

Armando Isaac

Varanasi é o mais sagrado dos locais sagrados da Índia. É uma cidade com um estatuto praticamente sem paralelo na mitologia hindu. Para Mark Twain, "Varanasi é  mais antiga do que a história, mais antiga do que a tradição, mais antiga até do que a lenda e parece duas vezes mais antiga do que todas elas juntas". Ainda hoje, congestionada com milhares de turistas e peregrinos, Varanasi transmite esta sensação. Mais do que qualquer outra cidade indiana, encarna as complexidades incomparáveis dos rituais e cultos hindus. Cerca de dois milhões de habitantes incluem  o número estimado de 50 0000 brâmanes e, todos os anos, o número de peregrinos facilmente rivaliza com a população residente.

 

As águas sagradas do rio Ganges estão visivelmente poluídas. Em 1985 o Plano de Acção do Ganges procurou realizar a maior limpeza de sempre na Índia, mas o controle deficiente, o excesso de gastos, o progresso lento e a corrupção combinaram-se para produzir resultados terríveis. Em Varanasi mais de 28 0000 tartarugas foram introduzidas no Ganges para se alimentarem do cadáveres poluentes. A maioria foi caçada ilegalmente e o viveiro de tartarugas não contém hoje um único residente.

 

Ao longo da margem do Ganges há mais de 100 ghats, um pólo de atracção dos hindus vivos, moribundos e mortos. Alguns ghats têm uma função social e é aí que os residentes conversam enquanto executam as suas abluções. Outros são locais de rituais religiosos. Os velhos abundam, porque morrer em Varanasi, nas margens do Ganges, atinge a moksha (salvação). A regra é começar às quatro horas, se quiser juntar-se ao grupo de fiéis e residentes que, antes do nascer do Sol, se banham, meditam e lavam a roupa.

 

Barcos carregados de turistas fotografam sem parar estas imagens, na luz suave e rosada da alvorada, enquanto centenas de velas pousadas em folhas flutuam na água.

 

O Manikarnika Ghat, o principal crematório de Varanasi e primeiro ghat de pedra, foi construído em 1302. Nos degraus, encontra-se um enorme ligam e, por detrás, está empilhada a madeira, que é cuidadosamente pesada para cada pira. Antes da cremação, o cadáver amortalhado efectua o seu último mergulho no Ganges.

 

Varanasi produz sedas e brocados fabulosos, apresentando as lojas uma gama enorme de écharpes, saris e tecidos de alta qualidade com debruns a ouro ou motivos tecidos, que criam brocados cintilantes.

 

 Barbearia  de rua

 

Transito na avenida

 Transito na avenida

 

 

Velho peregrino

 

 Velho peregrino

 

 

Meditação à beira do Ganges

 

 Anoitecendo no Ganges

 

 

Manikarnika Ghjat - Cremação

 

 Manikarnika Ghat - Cremação

 

 

 Dabaswamedh Ghat

 

Colorido cerimonial religioso

 

Cerimonial religioso à beira do Ganges

 

 

Cerimonial religioso à beira do Ganges

 

 Cerimónial religioso à beira do Ganges

 

 

Cerimonial religioso à beira do Ganges

 

 Cerimonial religioso à beira do Ganges

 

 

Festival de Deus a Durga

 

 Banho matinal no Ganges

 

 

Banho matinal no Ganges

 

 Velas pousadas em folhas flutuando na àgua

 

 

Meditação

 

 Rio acima

 

Passeio à beira rio

 

 

Banho matinal

 

Crematório secundário

 

 

Nascer do sol no Ganges

 

 Dabaswamedh Ghat

 

Manikarnika Ghat - Crematório principal

 

 

Oração após banho no Ganges

 

Tecelão

 

 

Sedas e brocados

 

Saris

Fotos: © Armando Isaac

13 comentários

Comentar post