Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

#MOMENTOS

Momentos são pequenas fracções de tempo em que algo, único e irrepetível, acontece e que o fotógrafo teve a capacidade de captar! Mostram-nos movimento, emoção e contam-nos uma história.

#MOMENTOS

Momentos são pequenas fracções de tempo em que algo, único e irrepetível, acontece e que o fotógrafo teve a capacidade de captar! Mostram-nos movimento, emoção e contam-nos uma história.

14
Jan12

À descoberta da Índia - Kajuraho (3)

Armando Isaac

Khajuraho é um dos pontos altos da rota do norte, oferecendo uma variedade de templos “eróticos” elaboradamente esculpidos, numa paisagem rural tranquila.

Os criadores deste esplêndido património foram os Chandelas, considerados de origem rajaputa, que se tornaram uma dinastia poderosa durante o século IX. Esquecidos durante séculos e engolidos pela vegetação, os templos foram redescobertos por um engenheiro britânico, em 1835. Do total de mais de 80 templos, apenas sobraram 22 e a cidade, em tempos próspera, está reduzida a uma extensa aldeia, altamente dependente da indústria turística.

 

O estilo shakti

 

Embora Xiva domine, alguns templos de Khajuraho são dedicados a Vixnu e há vestígios de budismo, jainismo, do culto do Sol e de cultos animistas. Todos estão esculpidos em grés e estavam outrora revestidos de gesso branco, com as torres múltiplas concentradas em torno da altiva shikhara principal, sugerindo a montanha sagrada e evocando o estilo de Orissa. Por baixo, situa-se o santuário contendo a divindade do templo, com uma passagem que contorna alpendres laterais e um mandapa (salão) frontal, com figuras esculpidas e frisos. Cada templo está implantado numa plataforma, permitindo aos fiéis que contornem o edifício e vejam de perto os complexos entalhes.

Khajuraho é sobretudo famosa pelos motivos eróticos, mas estes constituem apenas cerca de um décimo do total. Julga-se que os templos foram construídos para celebrar episódios do casamento de Xiva e Parvati (ou shakti, a força feminina divina). Daqui emana o culto tântrico, que venera a activação das forças masculinas através da união sexual com shakti.

 

A Busca do Prazer

 

“Num país onde o culto do linga é fonte de fé religiosa e as suas manifestações se vêem em períodos muito iniciais das civilizações, as esculturas eróticas não passam de uma continuação dessa tradição, que aceita a procriação como uma função fundamental da vida. A presença de esculturas eróticas revela que não existem tabus nem inibições relativamente ao sexo, como hoje existem. A Kama ou busca do prazer, era considerada um dos quatros purusharthas ou objectivos legítimos da vida, para um Grahast, da mesma forma que era vista como um ponto de partida em direcção à moksha (salvação)”. Autor anónimo, Khajuraho.

 

O grupo de monumentos de Khajuraho está classificado pela Unesco, como Património Mundial.

 

 

 

 

 Templo Chaturbhuj

 

 

 Fachada do Templo

 

 

 Sedução

 

 

 Cena erótica

 

 

 Cenas eróticas

 

 Erotismo

 

 

 Esculturas

 

 

 Painel erótico

 

Painel erótico

 

Elegância

 

 

 Cenas eróticas

 

 

 Painel erótico

 

 Esculturas no interior do Templo

 

 

 Altar

 

Templos

 

Painel erótico

 

Painel erótico

 

 

Templo Parswanath

 

Templo Parswanath

 

 

 Cenas eróticas

 

 

 Esculturas

 

 

 Cena erótica

 

Escultura

 

Jardins do Templo Parswanath

 

 

Guarda do Templo

 

 

Trânsito na avenida em Khajuraho

 

Esculturas - Templo Adinath

 

  

 Escultura - Templo Adinath

 

 

Erotismo - Templo Adinath

 

 

Templo Adinath                                                                                              Fotos: © Armando Isaac

 

7 comentários

Comentar post