Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

#MOMENTOS

Momentos são pequenas fracções de tempo em que algo, único e irrepetível, acontece e que o fotógrafo teve a capacidade de captar! Mostram-nos movimento, emoção e contam-nos uma história.

#MOMENTOS

Momentos são pequenas fracções de tempo em que algo, único e irrepetível, acontece e que o fotógrafo teve a capacidade de captar! Mostram-nos movimento, emoção e contam-nos uma história.

21
Jan12

À descoberta da Índia - Agra; Taj Mahal (5)

Armando Isaac

Agra

 

A proeminência de Agra, deve-se a um único monumento, o Taj Mahal. Trata-se da glória da Índia mongol, com a sua fachada de mármore branco, as cúpulas e os minaretes emanando uma aura de grandeza, que está muito longe da realidade da Índia actual. Construído como uma expressão de amor, está hoje rodeado de uma cidade poluída e industrializada de quase dois milhões de habitantes.

A história de Agra começou quando o Sultão Sikander Lodi transferiu a sua capital, de Deli para cá, em 1504, para vigiar mais de perto o seu reino vasto mas propenso a guerras a sul. A cidade ergue-se nas margens orientais do rio Yamuna, mas 22 anos mais tarde, o sultanato era esmagadoramente derrotado por Barber, o primeiro imperador mongol, e pelo seu filho, Humayun. Com a construção do forte pelo filho de Humayun, Akbar, Agra retomou o seu lugar de capital, desta vez do império mongol. Assim continuou mais um século, excepto durante o curto e malfadado interlúdio de Fatehpur Sikri. No século XVII, Shah Jahan construiu as sua penas de amor, o Taj Mahal, em Agra, mas as suas ambições levaram-no a desenvolver Deli e a mudar-se para a sua Fortaleza Vermelha ampliada. Foi contudo no Forte de Agra que acabou os seus dias, aprisionado pelo seu cruel filho, Aurangzeb. Este último imperador mongol adoptou definitivamente Deli como capital e Agra foi mais tarde conquistada pelos Jatis, Maratas e, em 1803, pelos ingleses.

 

Taj Mahal

 

O Taj Mahal foi construído por Shah Jahan, em memória da sua esposa favorita, Mumtaz Mahal, que morreu ao dar à luz o seu 14º filho. O desolado imperador determinou-se a construir um mausoléu inultrapassável e, 22 anos mais tarde, em 1653, depois de serem transportadas toneladas de mármore de Jodhpur e pedras semipreciosas de toda a Ásia para o local por elefantes, a obra-prima foi concluída. Consta-se terem trabalhado na obra cerca de 22 000 artífices e operários. 

Shah Jahan foi encarcerado pelo seu filho e passou os últimos oito anos da sua vida a elanguescer no Forte de Agra, de onde podia contemplar o túmulo da sua mulher, ao lado de quem foi enterrado, quando morreu, em 1666.

Por mais imagens que possa ter visto do Taj Mahal, a realidade continua a ser surpreendente, a escala estupenda e a superficie em mutação com a luz. As horas ideais para o visitar são o nascer e o pôr do Sol, quando o mármore branco translúcido parece flutuar numa luz suave, muitas vezes nublada, com o seu reflexo cintilando ao longo do canal de água que atravessa os jardins.

Os jardins evocam, no típico estilo mongol, um paraíso islâmico de paz. Estão seccionados em quadrantes através de canais de água e ladeados por arbustos em flor e árvores frondosas. A sua simetria reflecte-se nos dois edifícios que flanqueiam o túmulo: a Oeste, uma mesquita de mármore e grés e a Leste a jawab (resposta) que lhe dá um equilibrio visual. Esta pureza simétrica continua nos quatro esbeltos minaretes, com mais de 40 metros, em cada canto da plataforma quadrada, e nos quatro zimbórios em redor da “pérola” central.

 

No interior, os túmulos verdadeiros estão na catacumba, enquanto os túmulos “públicos” profusamente trabalhados estão por baixo do altivo zimbório. Alinhado com a de entrada principal, o túmulo de Mumtaz é adjacente, de um dos lados, ao túmulo maior de Shah Jahan.

 

O Taj Mahal foi classificado pela UNESCO, como Património da Humanidade.

Em 7 de Julho de 2007, foi celebrado em Lisboa, como uma das Novas Sete Maravilhas do Mundo.

 

Darwaza de acesso ao Taj Mahal às 06h13

Darwaza de acesso ao Taj Mahal às 06h15

 

Darwaza com caminho de acesso ao Taj Mahal às 06h51

 

Taj Mahal às 06h19

 

Taj Mahal, o canal e os jardins às 06h22

  

Taj Mahal às 6h25

Reflexo do Taj Mahal às 06h39 

 

Taj Mahal, o canal e os jardins às 06h39

Taj Mahal e o seu reflexo às 06h49 

 

Taj Mahal e o seu reflexo às 06h50

 

Taj Mahal e o seu reflexo às 06h51

 

Taj Mahal e o seu reflexo às 06h52

 

Taj Mahal e o seu reflexo às 06h52

 

Taj Mahal e o seu reflexo às 06h53

  

Taj Mahal e o seu reflexo às 06h54

 

Simetria entre o Taj Mahal e o seu reflexo às 06h54

 

Jardins do Taj Mahal às 06h56 

 

Jardins do Taj Mahal às 07h00

 

Jardins do Taj Mahal às 07h02

 

Jardins do Taj Mahal e a Masjid (mesquita) a oeste às 07h03

 

Jardins do Taj Mahal às 07h06

 

Páteo a Leste do Taj Mahal às 07h09

 

Arcada da Jawab ("resposta"), usada provavelmente como hospedaria às 07h11

 

Do lado Leste do Taj Mahal, a Jawab ("resposta") usada provavelmente como hospedaria - 07h12

 

Portão da Jawab às 07h13

 

Portão da Jawab às 07h15

 

Traseiras do Taj Mahal nas marges do rio Yamuna às 07h20

 

A Oeste do Taj Mahal, o Masjid (a Mesquita) às 07h22

 

Portão da Masjid às 07h25

 

Túmulos de de Mumtaz Mahal e Shah Jahan - 07h32

Darwaza, os jardins, os canais e caminhos de acesso às 07h36

 

Fotos: © Armando Isaac

 

 

 

10 comentários

Comentar post