Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

#MOMENTOS

Momentos são pequenas fracções de tempo em que algo, único e irrepetível, acontece e que o fotógrafo teve a capacidade de captar! Mostram-nos movimento, emoção e contam-nos uma história.

#MOMENTOS

Momentos são pequenas fracções de tempo em que algo, único e irrepetível, acontece e que o fotógrafo teve a capacidade de captar! Mostram-nos movimento, emoção e contam-nos uma história.

17
Mai22

As Sete Saias

Armando Isaac

As sete saias fazem parte da tradição, do mito e das lendas desta terra tão intimamente ligada ao mar. Diz o povo que representam as sete virtudes; os sete dias da semana; as sete cores do arco-íris; as sete ondas do mar, entre outras atribuições bíblicas, míticas e mágicas que envolvem o número sete. 

A sua origem não é de simples explicação e a opinião dos estudiosos e conhecedores da matéria sobre o uso de sete saias não é coincidente nem conclusiva. No entanto, num ponto todos parecem estar de acordo: as várias saias (sete ou não) da mulher da Nazaré estão sempre relacionadas com a vida do mar. As nazarenas tinham o hábito de esperar os maridos e filhos, da volta da pesca, na praia, sentadas no areal, passando aí muitas horas de vigília. Usavam as várias saias para se cobrirem, as de cima para protegerem a cabeça e ombros do frio e da maresia e as restantes a taparem as pernas, estando desse modo sempre “compostas

O traje da mulher nazarena é notável pela sua beleza e harmonia. De trabalho ou de festa, o traje reflecte não só a forte personalidade das nazarenas, mas adapta-se também à sua lida diária – amanho, venda e seca de peixe. É por isso prático, funcional e protector do frio e da maresia, permitindo-lhes movimentos desembaraçados, mas mantendo-as sempre compostas.

No traje de trabalho as mulheres usam saia de baixo branca, por cima desta 2 ou 3 saias de flanela colorida caseadas a lã; algibeira; saia de cima de caxemira ou terilene ; avental de “riscado”, de cor escura e com bolsos; casaco ou blusa simples; cachené; xaile traçado e chinelas ou descalças. 

Fonte: Google

DSC_3402.jpg

DSC_3549.jpg

DSCF9130.jpg

DSCF9262.jpg

DSCF9342.jpg

DSCF9343.jpg

DSCF9884.jpg

DSCF9887.jpg

DSCF9890.jpg

DSCF8904.jpg

DSCF8906.jpg

Fotos: © 2022 Armando Isaac

 

 

16
Mai22

Rancho TÁ-MAR

Armando Isaac

Este Rancho, criado em 1934 por Carlos Ferreira com o nome de Rancho da Nazaré, mais tarde foi estruturado etnográficamente pelo Dr. José Maria de Carvalho Júnior, Médico, pessoa muito culta e estudiosa, amigo desta terra e do seu povo. Foi o Dr. Carvalho quem elaborou a parte principal do repertório deste Rancho, quando, nas suas horas vagas, andando de porta em porta e falando com as pessoas mais idosas desta terra, foi tomando nota das danças e cantares dos velhos tempos. Mais tarde o Rancho ficou entregue aos cuidados de Eduardo Isaac que manteve a sua orientação acompanhado por Eleutério de Sousa Neves , Manuel de Oliveira Meca e Júlio Curado.

Foi, a partir de 1936, aquando da sua primeira exibição no Teatro Nacional D. MARIA II, em Lisboa, na festa de homenagem ao ilustre escritor Dr. Alfredo Cortês e estando em cena a peça da sua autoria “TÁ-MAR”, dedicada à Nazaré e ao seu povo, que este grupo adoptou o nome de Rancho Folclórico “TÁ-MAR”. Este Rancho, que, pela sua genuídade, é considerado o mais típico de Portugal, tem por finalidade manter vivas e dar a conhecer ao mundo as tradicionais danças e cantares da Nazaré, que tanto interesse despertam, pela sua alegria e pelo seu sabor especial a coisas das gentes do mar.

Fonte: Google

DSCF9021 (1).jpg

DSCF9022 (1).jpg

DSCF9139 (1).jpg

DSCF9143 (1).jpg

DSCF9147 (1).jpg

DSCF9151 (1).jpg

DSCF9152 (1).jpg

DSCF9156 (1).jpg

DSCF9159 (1).jpg

DSCF9162 (2).jpg

DSCF9164 (1).jpg

DSCF9168 (1).jpg

DSCF9170 (1).jpg

DSCF9171 (1).jpg

DSCF9173 (1).jpg

DSCF9175 (1).jpg

DSCF9181 (1).jpg

DSCF9188 (1).jpg

DSCF9190 (1).jpg

DSCF9191.jpg

DSCF9193.jpg

DSCF9196.jpg

DSCF9197.jpg

DSCF9198.jpg

DSCF9203.jpg

DSCF9210.jpg

DSCF9217.jpg

DSCF9219.jpg

DSCF9229.jpg

DSCF9230.jpg

DSCF9234.jpg

DSCF9238.jpg

DSCF9246.jpg

DSCF9257.jpg

DSCF9258.jpg

DSCF9260.jpg

DSCF9261.jpg

DSCF9265.jpg

DSCF9268.jpg

DSCF9270.jpg

DSCF9271.jpg

DSCF9273.jpg

DSCF9274.jpg

DSCF9293.jpg

DSCF9295.jpg

DSCF9300.jpg

DSCF9308.jpg

DSCF9309.jpg

DSCF9319.jpg

DSCF9320.jpg

DSCF9321.jpg

DSCF9329.jpg

DSCF9332.jpg

DSCF9334.jpgFotos: © 2022 Armando Isaac

 

14
Out21

Santuário de N. S. da Nazaré

Armando Isaac

O Santuário de Nossa Senhora da Nazaré, também referido como Igreja de Nossa Senhora da Nazaré, fica situado no Sítio da Nazaré, um bairro da Vila da Nazaré (Portugal). No seu interior, guarda-se a Sagrada imagem de Nossa Senhora da Nazaré, uma Virgem Negra, esculpida em madeira, trazida de Mérida para este Sítio, no ano de 714.

Fonte: Wikipédia

DSCF7758.jpg

DSCF7802.jpg

DSCF7804.jpg

DSCF7805.jpg

DSCF7806.jpg

DSCF7808.jpg

DSCF7809.jpg

DSCF7810.jpg

DSCF7811.jpg

DSCF7815.jpg

DSCF7816.jpg

DSCF7817.jpg

DSCF7818.jpg

DSCF7819.jpg

DSCF7821.jpg

DSCF7824.jpg

Fotos: © 2021 Armando Isaac

 

30
Jan21

Banho ao pôr do sol na Nazaré

Armando Isaac

Em Agosto do ano passado ao fotografar um pôr de sol na Nazaré, deparei-me com uma bonita jovem que se banhava nas águas do mar com enorme alegria e imenso prazer, o que me levou a fotografá-la. No final da sessão a jovem dirigiu-se a mim e com enorme elegância disse-me ter reparado que eu estava a fotografá-la e pediu se eu não me importava de lhe enviar as fotos. Disse-lhe imediatamente que sim pelo que me deu os seus contactos. Regressado  de férias constatei ter perdido os contactos e por mais esforços que tenha desenvolvido não os consegui encontrar.

No passadaso dia 16 recebi no Blogue uma mensagem de Pedro Pinto, que presumo ser um amigo que aconpanhava a referida jovem, com um endereço de email que não está correcto,  referindo não ter encontrado a reportagem no meu blogue.

Em face disto resolvi publicar as fotos, solicitando à jovem ou ao Pedro Pinto que  comentem este post e me enviem os respectivos contactos, para eu lhes enviar as fotos.

DSCF6132.jpg

DSCF6133.jpg

DSCF6151.jpg

DSCF6153.jpg

DSCF6154.jpg

DSCF6170 (1).jpg

DSCF6171 (1).jpg

DSCF6172 (1).jpg

DSCF6173 (1).jpg

DSCF6175 (1).jpg

DSCF6178.jpg

DSCF6181.jpg

DSCF6182.jpg

DSCF6188.jpg

DSCF6189.jpg

DSCF6191.jpg

DSCF6193.jpg

DSCF6197.jpg

DSCF6198.jpg

DSCF6199.jpg

DSCF6201.jpg

DSCF6203.jpg

DSCF6204.jpg

DSCF6205.jpg

DSCF6209.jpg

Fotos: © 2021 Armando Isaac

 

 

 

 

22
Set19

II - Nazaré e o Sítio

Armando Isaac

 

O Sítio da Nazaré é um impressionante promontório, onde temos uma das mais conhecidas panorâmicas da costa portuguesa. São 318 metros de rocha a cair a pique até ao mar, a que se chega a pé, para os mais corajosos, ou subindo de ascensor. No alto, encontramos a pequena Ermida da Memória, onde se conta a lenda do milagre que Nossa Senhora fez impedindo o cavalo de um fidalgo, D. Fuas Roupinho, de se lançar no precipício. Verdade ou não, no Miradouro do Suberco mostra-se o sinal deixado na rocha pela ferradura, nessa manhã de nevoeiro de 1182. No Sítio, podemos ainda visitar o Santuário de Nossa Senhora da Nazaré.

Atualmente, a grande atração desta vila são as ondas e o surf, graças ao “Canhão da Nazaré”, um fenómeno geomorfológico submarino que permite a formação de ondas gigantes e perfeitas. Trata-se do maior desfiladeiro submerso da Europa, com cerca de 170 quilómetros ao longo da costa, que chega a ter 5000 metros de profundidade. 

O surfista havaiano Garrett McNamara deu-lhe a visibilidade mundial quando, em 2011, fez a maior onda do mundo em fundo de areia, com cerca de 30 metros, na Praia do Norte, vencendo o prémio Billabong XXL Global Big Wave Awards e batendo um record do Guiness Book. À sua semelhança, surfistas de todo o mundo visitam a Nazaré todos os anos para se aventurarem no mar. Na praia, os banhos de sol também são apreciados e uma excelente plateia para apreciar as proezas destes jovens.

Conhecendo-se os locais e momentos adequados, podem obter-se excelente imagens da praia da Nazaré, do Farol e do próprio Sítio da Nazaré.

DSCF2368.jpg

 

DSCF2370.jpg

 

DSCF2371.jpg

 

DSCF2372.jpg

 

DSCF2373.jpg

 

DSCF2378.jpg

 

DSCF2379.jpg

 

DSCF2380.jpg

 

DSCF2383.jpg

 

DSCF2385.jpg

DSCF2389.jpg

 

DSCF2390.jpg

 

DSCF2399.jpg

 

DSCF2400.jpg

 

DSCF2401.jpg

 

DSCF2404.jpg

 

DSCF2408.jpg

 

DSCF2409.jpg

 

DSCF2410.jpg

 

DSCF2411.jpg

DSCF2412_1.jpg

 

DSCF2413_1.jpg

 

DSCF2414_1.jpg

 

DSCF2417_1.jpg

 

DSCF2419_1.jpg

 

DSCF2420_1.jpg

 

 

DSCF2422.jpg

 

DSCF2423_1.jpg

 

DSCF2425_1.jpg

DSCF2426_1.jpg

 

 

DSCF2428_1.jpg

 

 

DSCF2433.jpg

 

DSCF2434.jpg

 

 

 

DSCF2438.jpg

 

DSCF2441.jpg

DSCF2442.jpg

 

DSCF2445.jpg

 

DSCF2447.jpg

 

DSCF2453.jpg

 

DSCF2461.jpg

 

DSCF2477.jpg

 

DSCF2488.jpg

Fotos: © 2019 Armando Isaac

 

26
Mar17

As Belezas do Carnaval da Nazaré

Armando Isaac

O Carnaval da Nazaré é essencialmente de cariz popular, constituido numa maioria significativa por mulheres. Estas aproveitam o evento para se embelezarem, em vez de se mascararem. Desfilam toda a sua beleza, contagiando toda a gente com a sua alegria, colorido e animação.

DSC_1734_02_00001.jpg

 

DSC_1741_01_00002.jpg

 

DSC_1743_01_00003.jpg

 

DSC_1751_01_00004.jpg

 

DSC_1790_01_00005.jpg

 

DSC_1886_01_00006.jpg

 

DSC_1890_01_00007.jpg

 

DSC_1891_01_00008.jpg

 

DSC_1899_03_00009.jpg

 

DSC_1921_01_00010.jpg

DSC_1925_01_00011.jpg

 

DSC_1926_01_00012.jpg

 

DSC_1929_01_00013.jpg

 

DSC_1931_01_00014.jpg

 

DSC_1932_01_00015.jpg

 

DSC_1940_01_00016.jpg

 

DSC_1943_01_00017.jpg

 

DSC_1944_01_00018.jpg

 

DSC_1948_01_00019.jpg

 

DSC_1950_01_00020.jpg

DSC_1952_01_00021.jpg

 

DSC_1959_01_00022.jpg

 

DSC_1960_02_00023.jpg

 

DSC_1970_01_00024.jpg

 

DSC_1972_01_00025.jpg

 

DSC_1976_01_00026.jpg

 

DSC_1982_01_00027.jpg

 

DSC_1983_01_00028.jpg

 

DSC_1988_01_00029.jpg

 

DSC_1993_01_00030.jpg

DSC_2016_01_00031.jpg

 

DSC_2033_01_00032.jpg

 

DSC_2034_01_00033.jpg

 

DSC_2046_01_00034.jpg

 

DSC_2055_01_00035.jpg

 

DSC_2239_01_00036.jpg

 

DSC_2249_01_00037.jpg

 

DSC_2259_01_00038.jpg

 

DSC_2261_01_00039.jpg

 

DSC_2262_01_00040.jpg

 

Fotos: © 2017 Armando Isaac

 

 

 

 

25
Jul13

Praia da Nazaré

Armando Isaac

A Praia da Nazaré é de uma das mais tradicionais vilas piscatórias portuguesas, possuindo a praia de banhos mais concorrida do litoral Oeste, onde ainda se podem encontrar, no areal, algumas mulheres vestidas com o tradicional traje de sete saias, a cuidar do peixe que seca ao sol.

A praia de banhos, completamente integrada na área urbana pelo casario da marginal, é limitada a norte pelo promontório e a sul e pelo molhe do porto de abrigo, conservando no Verão as tradicionais barracas de pano com riscas de cores fortes. Banhada por um mar por vezes bravio e com ondulação forte, é ideal para a natação, o surf e o bodyboard.

Para apreciar a beleza do areal em toda a sua extensão bem como o casario da Praia da Nazaré vale a pena subir ao Sítio da Nazaré, através do elevador com mais de cem anos, que liga o centro da vila ao seu ponto mais alto.

No dia 01/11/2011  a Praia da Nazaré andou nas bocas do mundo, pois o surfista Havaina, Garret McNamara surfou (na região conhecida como Norte do Canhão), uma onda medida pelo Billabong XXL Global Big Wave Award de 2011 com 78 pés, entrando para  o Guiness Book of Records , mostrando como o canhão de Nazaré tem potencial para a prática de tow-in em ondas gigantes. No dia 28/01/2013 o surfista Garrett Mc Namara surfou novamente uma onda calculada em 34 m (112 ft) que poderá bater o seu recorde anterior, já considerada a maior de sempre, segundo o Guinness.

O Canhão da Nazaré, ou Canal da Nazaré é um desfiladeiro submarino de origem tectónica situado ao largo da costa da Nazaré, relacionado com a falha da Nazaré-Pombal, começando a definir-se a cerca de 500 metros da costa. Considerado por muitos o maior da Europa, separa a costa da Península Ibérica na direção este-oeste desde a plataforma continental, numa extensão de cerca de 211 km começando a uma profundidade de 50 metros até à planície abissal Ibérica onde atinge profundidades na ordem dos 5000 metros.

O Canhão de Nazaré também funciona como um polarizador de ondulações. As ondas conseguem viajar a uma velocidade muito maior pela falha geológica, chegando na costa praticamente sem dissipação de energia. A Praia do Norte, na vila de Nazaré, apresenta consistentemente ondas significativamente maiores do que o restante da costa portuguesa por conta do Canhão de Nazaré. As correntes predominantes de norte funcionam como condutas sedimentares, ao longo das quais há intensificação dos processos de transporte de partículas entre a zona costeira e o domínio profundo do mar, o transporte de matéria particulada (sedimentos) ao longo de todo o canhão parece eficiente. 

 

Fonte: Wikipédia


A praia
As barracas de praia
Veraneantes em pose
As barracas de praia
Uma visão pouco habitual da praia
Vista da praia para Sul
As barracas de praia
Vista da praia para Sul
Vista para Sul
A foz do rio Alcôa
A praia a Norte
Vendedeira de bolos
As bandeiras
Cadeira privativa do Guimarães
Peixe seco
Paneiros de carapau seco
Vista do Sítio
Vista do Sítio
Vista do Sítio
Um dos miradores do Sítio
Padrão de Vasco da Gama 
Capela da Sra da Boa Memória
Vista do Sítio
Largo da Igreja de N. Sra da Nazaré
Pedra do Guilhim
Praia do Norte
Cabeça de Gorila


FOTOS: © Armando Isaac

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Mensagens

Calendário

Dezembro 2022

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Pesquisar

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D